Warning: session_start(): open(/var/lib/php-cgi/session/sess_05e2578e5b776b782a3c1e13a8e7708d, O_RDWR) failed: No such file or directory (2) in /home/storage/1/4f/03/engevolve/public_html/wp-content/plugins/pixelyoursite/includes/class-pys.php on line 206

Warning: session_start(): Failed to read session data: files (path: /var/lib/php-cgi/session) in /home/storage/1/4f/03/engevolve/public_html/wp-content/plugins/pixelyoursite/includes/class-pys.php on line 206
Será que estamos conseguindo enxergar os desperdícios? | Engevolve

Vamos trazer um olhar sobre os desperdícios, que estão presentes nas nossas vidas, em nossas casas, em nosso dia a dia e nas mais diversas áreas das empresas, como produção e processos administrativos.

Desperdício também pode ser traduzido como: “Tudo aquilo que não agrega valor ao produto ou serviço”.

Para entendermos melhor o que são os desperdícios, proponho refletirmos sobre o significado da palavra Valor.

O que é valor?

Qual é o valor que entregamos ao Cliente?

O que entregamos vai de encontro à suas expectativas?

Quanto, Quando e Como o cliente quer receber nosso produto?

Qual é a Qualidade especificada por ele?

Percebemos que, o mais importante ao entregamos nossos produtos ou serviços é entender: O que é o valor na ótica do cliente.

A partir daí, sabendo precisamente qual é o valor agregado do produto, podemos afirmar que, quando olhamos para os nossos processos, tudo aquilo que não colabora para transformar o produto naquilo que o cliente realmente deseja, é desperdício e deve ser identificado, analisado e eliminado.

Seja em um ambiente de produção, administração ou nas mais diversas áreas, basicamente conseguimos identificar oito tipos de desperdícios:

1) Excesso de produção (que pode traduzido também como excesso de documentação, burocracia)

2) Esperas (de pessoas, de peças, máquinas, documentos, assinaturas)

3) Transporte ou movimentação desnecessária (de pessoas, de veículos, empilhadeiras, etc)

4) Processamento incorreto (processos complicados, documentos com muitas informações)

5) Excesso de estoque (Estoque em processo, no almoxarifado, produto acabado)

6) Defeitos, correção (retrabalhos, serviços mal acabados)

7) Movimentação de materiais (peças, documentos)

8) O não aproveitamento do conhecimento e experiência das pessoas.

Todos, sem exceção consomem Tempo, seja na produção de peças que não são necessárias, seja nas esperas por máquinas quebradas, na parada para troca de ferramentas, no tempo gasto para correção de defeitos, nos retrabalhos, nas filas, no preenchimento de documentos, ou quando não aproveitamos a experiência e conhecimento humano para solucionar problemas.

O Tempo é algo precioso.

Precisamos utilizar da melhor forma possível:

  • o nosso tempo;
  • o tempo do outro;
  • o tempo da empresa;
  • o tempo gasto para gerar valor.

Em qualquer tipo de negócio, é sugerido que se faça um estudo detalhado, para entender o que faz parte da linha do tempo, que é utilizado na transformação de um produto ou serviço, desde o início ao final. Isto inclui mapear, classificar, medir e analisar todas as informações do processo.

Um dos métodos mais utilizados e eficazes que faz parte da Filosofia Lean, para o levantamento e estudo dos tempos, é o Mapeamento de fluxo de valor (VSM).

O VSM é um desenho em fluxo, que contempla todos os processos, de uma determinada família de produtos ou serviço, de forma sequenciada.

Com o VSM conseguimos identificar:

  1. Ciclos que agregam valor;
  2. Estoques entre processos;
  3. Takt time (ritmo de Cliente);
  4. Nível de eficiência operacional (OEE);
  5. Tempos de setup (troca de ferramentas);
  6. Nível de qualidade;
  7. Processos administrativos;
  8. Fluxo de informação (de que forma a informação caminha entre os processos);
  9. Linha do tempo com o Lead time (tempo total do processo do início ao final),
  10. Taxa de relação entre os tempos que agregam e não agregam valor.

Após o levantamento do VSM – Estado atual, é feito uma análise e levantamento dos pontos críticos e oportunidades.

Todas as informações são base para a construção do VSM – Estado Futuro e elaboração de um Plano de Ação, que norteará a equipe na busca pela Melhoria Contínua e consequentemente pela excelência operacional.

Vivemos em um mundo globalizado e competitivo onde, cada vez mais, precisamos entregar valor ao cliente com menor e melhor custo. Atuar para melhorar e atacar os desperdícios ainda são uma poderosa arma, indispensável para obtermos alto desempenho e atingirmos excelentes resultados com lucratividade.

A aplicação de uma metodologia como o VSM ajuda na verificação e utilização melhor dos tempos nos processos e clareia a visão daquilo que agrega e não agrega valor ao produto. A aplicação correta da ferramenta de maneira sistêmica, trabalhará para eliminar os desperdícios de uma forma contínua e consistente.